GNV: verdades e mitos sobre o Gás Natural Veicular

GNV: verdades e mitos sobre sobre o Gás Natural Veicular

Com instalação e manutenção realizadas em oficinas homologadas, o carro com GNV não corre riscos.

Com a constante alta dos combustíveis, os motoristas começam a estudar possibilidades de economizar. Há quem pegue carona com o vizinho, quem recorra aos aplicativos ou resolva adaptar o carro para utilizar o Gás Natural Veicular (GNV).

 

O carro com GNV pode explodir em um acidente – Mito!

Se a instalação do kit GNV for feita de acordo com as normas, não há risco de explosão – ou combustão, se considerarmos o termo técnico correto. Quem garante é o diretor de combustíveis da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), Rogério Gonçalves. É preciso, no entanto, manter a manutenção em dia tanto no veículo quanto nos postos de combustíveis que oferecem o GNV.

Para sua segurança, observe se o cilindro a ser instalado é de aço e não tem soldas. Realize o “reteste” do cilindro a cada cinco anos. Ao notar qualquer defeito ou vazamento, leve o veículo à instaladora homologada.

De acordo com engenheiro Luís Henrique Verginelli, os acidentes que envolvem carros a gás estão ligados a modificações realizadas sem conformidade com a lei ou a norma vigente. “O combustível (GNV) e o sistema são seguros”, garante. “Se houver um vazamento, o gás se dissipa no ar e não coloca em risco os ocupantes dos automóveis”.

Quando se registra uma explosão durante o abastecimento, o dono do carro, em geral, adaptou um botijão de gás de cozinha, que não resiste à pressão do GNV.

 

É preciso manter o tanque com um pouco de combustível líquido – Verdade!

Para garantir o funcionamento perfeito do carro e evitar danos ao sistema de injeção eletrônica de combustível líquido do veículo, é preciso manter um pouco de gasolina ou etanol no tanque. O reservatório de partida a frio também deve ser mantido com gasolina.

O diretor de combustíveis da AEA afirma que “os sistemas mais modernos de injeção de gás, que já saem instalados de fábrica, tem uma pequena injeção de combustível líquido contínua. Isso para manter o sistema de alimentação lubrificado e a limpeza de válvulas em dia.

 

É preciso registrar, no Departamento de Trânsito (Detran) do seu estado, a instalação do Kit GNV – Verdade!

Para que o seu veículo movido a gás esteja em conformidade com as leis estaduais, a instalação do Kit deve ser realizada em uma empresa credenciadas pelo Inmetro.

 

É mais difícil adulterar o GNV do que os combustíveis líquidos – Verdade!

As análises de qualidade do gás natural são efetuadas antes da sua distribuição. Na Resolução nº 16, de 17/6/2008 da ANP, está previsto o envio de dados de análise da qualidade do gás natural realizadas tanto pelo carregador como pelo transportador. Para adulterar o GNV, o posto teria que instalar um novo compressor para adicionar ar ao gás isso se torna inviável.

Av. Henrique Bier, n° 3148, São Leopoldo /RS 93135-000

  • Facebook
  • Instagram
  • LinkedIn